• Fernando Monfardini

Compliance no Futebol: as Três Linhas (Três Linhas de Defesa)

Atualizado: Set 3

Como estamos falando de futebol, ao mencionarmos 3 linhas logo nos vem a ideia de sistema de jogo e esquema tático. Mas neste caso estamos falando das 3 Linhas (de Defesa), que é um conceito de governança. Porém, pra manter o assunto no futebol, essa ideia é como se fosse a composição tática de uma governança adequada.


Essa abordagem foi inserida no livro Compliance no Futebol e é explorada por diversas entidades como o IBGC, IIA e OCEG, sendo que, as formas de abordar as 3 Linhas em cada uma desses órgãos foi a base para todos os outros conceitos da obra, inclusive a colocação do Sistema de Compliance. Isso porque, esta ideia visa integrar a governança, gestão de riscos e compliance, fazendo toda a estrutura funcionar em conjunto.


Dessa forma, o objetivo deste conceito é propiciar uma composição de governança que possa harmonizar os interesses das partes interessadas (torcedores, investidores, patrocinadores, atletas, mídia etc) à estratégia do clube, tendo mecanismos que permitam integrar toda a entidade no alcance dos objetivos e geração de valor, incluindo a parte política e executiva (corpo administrativo), operação e controles internos.



As Três Linhas são: operação, controles e auditoria.



A primeira linha é formada por aqueles que trabalham nas atividades de entrega dos produtos e serviços possuindo a responsabilidade de agir com diligência visando mitigar os riscos (atletas, departamento médico, categoria de base) e empregar recursos para alcance dos objetivos. Já a segunda linha, os controles (compliance, gestão de riscos, qualidade etc), são responsáveis por se aproximar da operação oferecendo expertise, aconselhamento, monitoramento e fiscalização. Ambas são parte da gestão é devem agir de forma a proteger a organização e gerar valor.


A terceira linha é a auditoria interna, que tem a função de avaliar e assessorar, mantendo alinhamento e dialogo com a gestão, nas questões de referentes ao alcance dos objetivos, como, por exemplo checar se agiram conforme as regras de governança da organização e se essas regras são suficientes, mantendo alinhamento e diálogo com a gestão. Ela dará reporte à alta administração, mas deve ser independente, a fim de garantir sua efetividade.


Essa foi uma breve explicação sobre as três linhas e seu funcionamento no esporte. É claro que existe um oceano além deste texto. Inclusive, no Compliance no Futebol esses conceitos são explorados de forma aprofundada.


Deixe seu comentário se você gostou ou tem uma crítica/sugestão. Nosso livro está disponível para venda com desconto de 30%. Assine nosso formulário para receber avisos.

53 visualizações
 

©2020 por Compliance no Futebol. 

Fernando Henrique Monfardini Ferreira, CPF 136.480.247-36. (27) 30932844 / contato@compliancenofutebol.com

Rua Ferreira Coelho, 330, sala 704. Praia do Suá, Vitória-ES. CEP 29052-210